Ao Banco BPI S.A. – A rude violação do Artigo 12.º da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

O Banco BPI viola regras básicas da Cidadania contempladas na Declaração Universal dos Direitos do Homem, em conluio com o Estado Português. O Presidente do Conselho de Administração do banco diz que não é "menos correcto". Advogada mandatária "age a mando" e utiliza a prática subversiva de prestar falsas declarações e acusar sem fundamento em Tribunal. A agente de execução assiste e aproveita para facturar.