ACERCA DO CORRUPTO

À
Gouveia Pereira, Costa Freitas & Associados, Sociedade de Advogados, R.L. (GPA)

  • Pressuponho que seja já do conhecimento de vossa “Team” o problema da Exm.ª Drª Carla Braguez, vosso Associado Coordenador, gerado pelo facto de ter imputado um rol inepto de acusações falsas e de ter difamado o bom nome do cidadão de forma leviana e gratuita. Eventualmente criminosa. É claro que nada dizeis porque certamente já vistes o filme do bandido.

Desde que tomei conhecimento do vosso “requerimento para outras questões”, onde acusais o cidadão de forma descarada e impune, a minha opinião acerca dos “advogados”, mudou substancialmente, como deveis entender.
O mandante não assumiu a responsabilidade. Outra coisa não seria de esperar da velha SPI. Mas a mandada /signatária também não, e os responsáveis do BPI consideraram que era tudo uma questão de regularidade processual e a lista de acusações não foi algo “menos correcto”.

A investigação e documentação sobre o assunto é a suficiente, e é Pública — O conjunto de artigos publicados acerca da temática mostra à Sociedade Civil Portuguesa o modus operandi do processo executivo simplex que sustenta este episódio ridículo e terceiro-mundista [quiçá muitas vezes repetido nas barbas de juízes coniventes]. Bem como para demonstrar publicamente que o cidadão não agiu de forma dolosa, nem de má-fé, nem causou qualquer prejuízo. Pelo contrário, foi apenas vítima do enriquecimento sem justa causa do banqueiro.

É claro que tudo isto são peanuts para o Banqueiro mais bem pago de Portugal e para a Mulher mais rica de África. É uma pitada de sal, nas suas omeletes. “Essa gente solta os cães e vai-se embora”, dizia-me um advogado reformado que fora meu colega numa escola de Almada. Mas certamente deixaria uma esmola choruda, incluindo a parte da dondoca de Bragança e do sucateiro do Barreiro, que mal sabem escrever. E que podia ser que ainda restasse algo para a colega da vicissitude.

Não poderei, no entanto, esquecer a brutal tentativa de saque , tal como a apresentei no artigo A FALHA DO SAQUE. Na realidade quase conseguíeis que a “regularidade processual” e a “transparência” lançasse o cidadão à “desgraça alheia”. Coisa que deve ser a vossa “especialidade”, pelo que nos é dado ver, já que agireis sem qualquer escrúpulo, revelando um desprezo profundo por aquilo que à época o cidadão e sua família tiveram que enfrentar, depois de concretizada a nojenta negociata em plena crise social e financeira em que todos fomos espoliados com a “enorme carga de impostos”.

Perante essa ameaça real, o cidadão soube agir de forma adequada e defensiva, como pudestes verificar.
AGUENTEI-ME … tal como preconizou o enfant terrible da Banca Portuguesa, vosso partner, Building Trust, em cuja mesa de administração já se sentava a grande investidora Isabel dos Santos, provavelmente vossa cliente conhecida.

Como já sabeis, o caso encontra-se no PLENO. E aguardo resposta, em relação à qual tenho fundadas reservas. Acredito, no entanto, que o facto de ter enviado a informação relativa à queixa a todos os Conselhos de Deontologia da Ordem dos Advogados do País, para que tivessem conhecimento, poderá ter o seu peso, na resposta. Apenas segui o conselho de alguém experiente neste tipo de assuntos.
Se porventura a vossa Associado Coordenador for realmente sansionada pela Ordem, irei então proceder a acusação exaustiva e devidamente fundamentada. Se não o for, a Ordem será conivente, pois que de uma ou de outra forma a história já está exposta publicamente, e a resposta do Pleno também fará parte integrante.

Aquilo que me quisestes espoliar garantiu a minha sustentabilidade enquanto vítima da Bolha — e tenho todo o tempo que me resta disponível para defender a minha dignidade, e a de todos os outros que foram violentamente sacados por mercenários do vosso calibre, sustentados pela “transparência” do banqueiro.
Nesse sentido, resta-me agradecer-vos, por terem criado essa possibilidade.
Este é o tempo de iniciar a desmontagem da CORRUPÇÃO na PRAÇA, dizia há dias um conhecido comentador político.

Com os melhores cumprimentos,
Álvaro de Mendonça,
Arquitecto Urbanista do processo executivo simplex

Uma opinião sobre “ACERCA DO CORRUPTO”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.