A OPÇÃO DA OSAE

Até à chegada da Troika foi um forrobodó …

O sucateiro Amílcar Santos [agroleiloes.eu], que tem um armazém no Barreiro “Onde os leilões acontecem!“, e vende petroleiros e aspiradores online, descrito como agência de vendas pela agente de execução Alexandra Gomes [alexandragomes.pt], nem sequer conhecia o apartamento duplex de 270 m2 localizado na Freguesia da Caparica, avaliado em 250.000,00€. Investiu 5,82€ em correio e 10,97€ em expediente de escritório no seu projecto de venda, e ganhou 6.438,19€ por ter percorrido 116 Km, que cobrou a 0,40€/Km.
Sendo que, naturalmente, a venda ficou deserta e foi directamente proporcional ao investimento realizado.
A agente de execução diz que sim e que é o que lhe cumpre dizer.
O Banco BPI S.A., aproveitou a situação para obter lucro expressivo à custa dos executados, condenados ainda a suportar o “remanescente”.

Creio então que terá chegado a altura de a OSAE proceder à nomeação do cargo de Provedor, uma vez que o Conselho Superior da OSAE não consegue resolver o problema da Agente de Execução Alexandra Gomes, que me causou um prejuízo directo de 47.500,00€, por não ter actuado atempadamente contra o burlão Amílcar Santos, no caso do processo executivo N.º 3816/06.0TBALM.


A minha queixa, como já informei o Ex.º Sr Bastonário, vai prosseguir até que seja clarificado se a conduta da Srª agente de execução é o que consta, ou não, no Manual de Boas Práticas, a Venda Executiva da OSAE, que a própria evoca como referência de sua conduta e escrupuloso cumprimento ada Lei.


Como esta questão, da própria OSAE, ultrapassa o meu entendimento, enviarei ainda a minha queixa e observância continuada para o Provedor de Justiça, e aguardarei respostas antes de recorrer ao Tribunal.

Considero-me, no entanto, com o direito de manifestar publicamente o meu profundo desagrado por esta situação que se arrasta há quase dez anos, e sustentar que farei o que me cumprir fazer, tal como a agente de execução Alexandra Gomes fez  “o que lhe cumpria fazer”, pela  perseverança da cidadania e dos bons costumes, incluindo a denúncia pública à Sociedade Civil Portuguesa, pois estou plenamente convencido de que a OSAE, sem o cargo de Provedor, continua a ser um antro de corruptos, tal como o eram algumas Associações de Solicitadores e Agentes de Execução, antes da chegada da Troika, com quem o Sr Bastonário diz ter aprendido muito.

Aproveito de novo para vos relembrar o seguinte:
“Não se pode esperar ou pedir às vítimas da Crise Financeira Imobiliária, a BOLHA, causada pela BANCA, que vejam diminuídos os seus direitos fundamentais, em especial, o direito à honra, à dignidade, à imagem e à integridade moral. Direitos inalienáveis e que a Constituição da República lhes reconhece e a Declaração Universal de Direitos Humanos defende”

Com os melhores cumprimentos,
Álvaro de Mendonça
Arquitecto Urbanista do Processo Executivo Simplex

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.