A NEGOCIAÇÃO PARTICULAR

A JUSTIÇA PARADOXAL DO PROCESSO EXECUTIVO SIMPLEX

O banqueiro mais bem pago de Portugal, a advogada especialista de elevado gabarito, a executiva de Bragança e o Chico-esperto do Barreiro. Um autêntico quadro vivo de benfeitores e escrupulosos cumpridores da Lei, feita à sua medida, numa grosseira negação de um dos seus princípios basilares: — Nemo iudex in causa sua.

Aniversário

Aniversário. Faz hoje seis anos que o banqueiro mais bem pago de Portugal contratou uma advogada especialista para se defender dos bandidos que não lhe queriam dar as chaves de um duplex avaliado em 250.000.00€ que comprou num armazém de ferro-velho do Barreiro.

O DINHEIRO É FLUIDO

Segundo mostram documentos do Luanda Leaks analisados pelo Expresso, a empresária angolana adquiriu o seu luxuoso apartamento no edifício Petite Afrique, no Mónaco, por mais de €50 milhões, com recurso a uma conta no banco BPI, do qual era o segundo maior acionista. [Expresso / Luanda Leaks / 25 Janeiro 2020]

Ao Chairman do Banco BPI S.A.

Venho informar o Ex.ᵐᵒ Chairman do Banco BPI S.A., Sua Ex.ª o Dr Fernando Ulrich, de que dei início à denúncia alargada à sociedade civil portuguesa — entenda-se a todos os portugueses — acerca "daquilo que nos une", apesar de saber que é muito mais "aquilo que nos separa". A denúncia pública será contínua e exponencial, até o nome de V. Ex.ª estar ao lado do meu, entre aqueles que actuam com dolo e com má-fé, causando sérios e graves prejuízos de tal forma que impossibilitam outros de obter rentabilização de seus bens.

Ao Banco BPI S.A. – A rude violação do Artigo 12.º da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

O Banco BPI viola regras básicas da Cidadania contempladas na Declaração Universal dos Direitos do Homem, em conluio com o Estado Português. O Presidente do Conselho de Administração do banco diz que não é "menos correcto". Advogada mandatária "age a mando" e utiliza a prática subversiva de prestar falsas declarações e acusar sem fundamento em Tribunal. A agente de execução assiste e aproveita para facturar.

O cidadão comum

Perante a aberração sistémica que o cidadão comum é obrigado a suportar no fastidioso “mundo dos mercados”, em que o valor do seu trabalho é tratado como uma mera mais-valia, o que lhe resta é encetar a denúncia da violação descarada da sua privacidade e dos seus direitos fundamentais.

INTERPRETAÇÃO SIMPLIFICADA DO PROCESSO EXECUTIVO simplex

Esta é a leitura do cidadão comum acerca do fenómeno processual que transformou o valor do seu trabalho num prejuízo indefinido: ‒ O investimento num bem imobiliário através do denominado crédito habitação, que é comum a milhões de cidadãos, transforma-se numa perda intemporal de rendimentos quando a banca, que o valorizou quando financiou, entra em crise devido à sua duvidosa engenharia financeira.

AD PROCESSUM

O Banqueiro há-de perceber que não pode fazer o que lhe dá na real gana. Enquanto não o fizer, terá que compreender que o cidadão também pode fazer o que considerar adequado para salvaguardar os seus interesses e defender a cidadania.

ULRICH a GFPP

O BANCO E A BOLHA

Dia de Portugal, de Camões, das Comunidades Portuguesas e de todos os que se Aguentaram

TRAGICOMÉDIA em um acto com souvenir

Quarta-feira, 10 de junho de 2020 | 00:00 – 23:45
Público·Evento criado porEu não assaltei o banco
UM EVENTO BAAP — The Bank Assault Art Project


Indigitar simbolicamente o “Banqueiro mais Bem Pago de Portugal”, o enfant terrible da banca portuguesa, como um dos GRANDES FILHOS-DA-PUTA de Portugal Continental, segundo o douto conceito de Alberto Pimenta*, escritor, poeta e ensaísta português.

… /
“o grande filho da puta
também em certos casos começa
por ser
um pequeno filho da puta,
e não há filho da puta,
por pequeno que seja,
que não possa
vir a ser
um grande filho da puta,
diz o grande filho da puta”.
…/

[ FONTE ]
… /
[ * – https://www.infopedia.pt/$discurso-sobre-o-filho-da-puta ]

FONTE: https://www.dinheirovivo.pt/banca/cronologia-banco-bpi-continua-sem-solucao/

Indigitação Simbólica dedicada à…

View original post mais 23 palavras

Ulrich contratou mercenários ?

Após a queda do Lehman Brothers, que gerou a grande crise imobiliária e financeira que abalou a banca em todo o mundo, a BOLHA, os grandes cérebros da velha SPI decidiram investir em novos rumos e procurar uma galinha que pusesse ovos de ouro.

O ESCRUPULOSO CUMPRIMENTO DA LEI

Com um mercado de mais de um milhão de processos a entupir os Tribunais, o negócio vai de vento em popa. O Portal dedicado ao Direito pode esperar, já que está em construção desde a publicação em diário da república do novo estatuto da OSAE.