A NEGOCIAÇÃO PARTICULAR

COMUNICADO AO BASTONÁRIO DA ORDEM DOS ADVOGADOS

Faro, 4 de Maio de 2021 Ao cuidado do Exm.º Bastonário da Ordem dos Advogados, Dr Luís Menezes LeitãoCom conhecimento a Fernando Ulrich, Isabel dos Santos e à GPA Advogados, Law Firm Considerando a manifesta e pública “preocupação” de V. Exª com o grave problema dos “Direitos Humanos” que assola a sociedade civil portuguesa, venho… Continue lendo COMUNICADO AO BASTONÁRIO DA ORDEM DOS ADVOGADOS

Nota de Imprensa

Independentemente do parecer que vier a ser exarado pelo Pleno do Conselho de Deontologia da Ordem dos Advogados, o assunto em si não pode ficar restrito a eventuais sanções disciplinares, conquanto é um exemplo nefasto e doentio daquilo que não deveria de acontecer num Estado de Direito, e por isso merece uma denúncia continua e alargada à Sociedade Civil Portuguesa.

A JUSTIÇA PARADOXAL DO PROCESSO EXECUTIVO SIMPLEX

O banqueiro mais bem pago de Portugal, a advogada especialista de elevado gabarito, a executiva de Bragança e o Chico-esperto do Barreiro. Um autêntico quadro vivo de benfeitores e escrupulosos cumpridores da Lei, feita à sua medida, numa grosseira negação de um dos seus princípios basilares: — Nemo iudex in causa sua.

O DINHEIRO É FLUIDO

Segundo mostram documentos do Luanda Leaks analisados pelo Expresso, a empresária angolana adquiriu o seu luxuoso apartamento no edifício Petite Afrique, no Mónaco, por mais de €50 milhões, com recurso a uma conta no banco BPI, do qual era o segundo maior acionista. [Expresso / Luanda Leaks / 25 Janeiro 2020]

Ao Chairman do Banco BPI S.A.

Venho informar o Ex.ᵐᵒ Chairman do Banco BPI S.A., Sua Ex.ª o Dr Fernando Ulrich, de que dei início à denúncia alargada à sociedade civil portuguesa — entenda-se a todos os portugueses — acerca "daquilo que nos une", apesar de saber que é muito mais "aquilo que nos separa". A denúncia pública será contínua e exponencial, até o nome de V. Ex.ª estar ao lado do meu, entre aqueles que actuam com dolo e com má-fé, causando sérios e graves prejuízos de tal forma que impossibilitam outros de obter rentabilização de seus bens.

Ao Banco BPI S.A. – A rude violação do Artigo 12.º da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

O Banco BPI viola regras básicas da Cidadania contempladas na Declaração Universal dos Direitos do Homem, em conluio com o Estado Português. O Presidente do Conselho de Administração do banco diz que não é "menos correcto". Advogada mandatária "age a mando" e utiliza a prática subversiva de prestar falsas declarações e acusar sem fundamento em Tribunal. A agente de execução assiste e aproveita para facturar.

INTERPRETAÇÃO SIMPLIFICADA DO PROCESSO EXECUTIVO simplex

Esta é a leitura do cidadão comum acerca do fenómeno processual que transformou o valor do seu trabalho num prejuízo indefinido: ‒ O investimento num bem imobiliário através do denominado crédito habitação, que é comum a milhões de cidadãos, transforma-se numa perda intemporal de rendimentos quando a banca, que o valorizou quando financiou, entra em crise devido à sua duvidosa engenharia financeira.

A OPÇÃO DA OSAE

A OSAE, sem o cargo de Provedor, continua a ser um antro de corruptos, tal como o eram algumas Associações de Solicitadores e Agentes de Execução, antes da chegada da Troika, com quem o Sr Bastonário diz ter aprendido muito.

COMUNICADO

Ao Conselho de Deontologia de Lisboa da Ordem dos AdvogadosCom conhecimento ao banqueiro Fernando Ulrich, à investidora Isabel dos Santos e à Team GPA Advogados Law Firm Faz hoje sete anos que fui acusado em Tribunal de ter causado sérios e graves prejuízos ao Banco BPI S.A.. Fui ainda acusado de actuar com dolo e… Continue lendo COMUNICADO

O PROCESSO EXECUTIVO SIMPLEX made in África

Tendes as costas largas, como todos os portugueses sabem, e os mercenários que vós sustentais também. Pensáveis que ainda estávamos em África, com a vossa Team? Não tendes vergonha que o bandido mostre publicamente a vossa prepotência ignóbil, para todos saberem o que sois?

ACUSAÇÃO PÚBLICA

Como actualmente é imprevisível o que acontece na Justiça e nos Tribunais em Portugal, e porque estes advogados de elevado gabarito têm as costas mui largas, o Cidadão vai também acusá-los na Praça Pública. Para que tenham, de facto, vergonha na Tromba.

ACERCA DO CORRUPTO

Apesar das múltiplas tentativas a chamar a atenção dos responsáveis do Banco BPI S.A. e do Tribunal de Almada acerca do ataque à cidadania perpetrado por esta EQUIPA, a SOLDO DO BANQUEIRO, todos fizeram ouvidos moucos e assobiaram para o lado. O rol inepto de falsas acusações e a difamação do bom nome do cidadão de forma leviana e gratuita, que mereceu DESPACHO FAVORÁVEL de um Meritíssimo Juiz de Direito, são um indício claro de que estamos perante um ACTO DE CORRUPÇÃO.